Segunda-feira, 19 de Novembro de 2018

UM NOVO MODELO DE POLÍCIA PARA O BRASIL


A POLÍCIA FEDERAL
SOMOS NÓS!

24/08/2018

POLICIAL DO ES CRIA MÉTODO QUE AJUDA A ESCLARECER CRIMES COM ARMAS DE FOGO

Mesmo depois de o tiro disparado, cápsula pode ter pistas reveladoras como impressões digitais, mostra policial federal que também é físico.

 

Um policial federal do Espírito Santo desenvolveu um método que pode ajudar a esclarecer crimes com armas de fogo.

 

Na hora do tiro, o projétil é disparado pelo cano da pistola. Mas uma parte da munição não vai muito longe. É possível ver câmera lenta: após o disparo, a cápsula, que é a parte que envolve o cartucho, é lançada para trás do cano e cai perto da arma.

 

Na investigação de um crime, os peritos da polícia recolhem as cápsulas e levam para exames de balísticas na tentativa de identificar de qual arma partiu o disparo. Mas há mais de cinco anos, um policial federal do Espírito Santo, que também é formado em física, trabalha para mostrar que mesmo depois de um tiro disparado, essas cápsulas podem trazer pistas bem mais reveladoras: impressões digitais.

 

Na hora do tiro, há um atrito da munição com o cano da arma e também um deslocamento de ar quente. Por isso, fica difícil revelar impressões digitais. Difícil, mas não impossível, diz o policial.

 

“Com práticas simples e relativamente baratas, que podem ser aplicadas em qualquer laboratório forense de qualquer polícia do nosso país, a gente consegue sim chegar a resultados”, afirma o policial federal papiloscopista Carlos Magno Girelle.

 

O método que ele desenvolveu segue esta sequência: primeiro, a cápsula vai para um aquecedor elétrico, onde fica exposta ao vapor da substância cianoacrilato, que é usada para fazer cola instantânea. O vapor em contato com o metal já começa a revelar a impressão. Depois, a cápsula é mergulhada em um reagente químico. Na próxima etapa, um spray joga um corante fluorescente. No contraste com a luz dá para ver melhor a impressão digital.

 

Todo esse o processo dura menos de duas horas. A impressão está revelada, mas o formato cilíndrico da cápsula gera reflexos que atrapalham a visualização.

 

Um equipamento, feito no laboratório da Polícia Federal, resolve isso. A medida que a cápsula é girada em uma engrenagem, ela é fotografada. Depois, as fotos são unidas e está formada uma imagem panorâmica da impressão digital.

 

O método foi utilizado durante um ano no Espírito Santo. Em mais de mil análises, apenas cinco revelaram a impressão. O problema, segundo o policial, é a forma como as cápsulas foram recolhidas nos locais dos crimes.

 

“Eu tenho certeza que se ao invés de coletar essas evidências e jogar dentro de uma sacola e balançar, que é o que acontece hoje, e a gente fizer de uma forma apropriada como a gente propõe na pesquisa, essa estatística tende sim a melhorar”, diz Girelle.

 

Ele acha que deveriam ser usadas pinças e as cápsulas deveriam ficar em embalagens, que também foram inventadas lá. Com esses cuidados desde o começo da investigação, é bem maior a chance de que na munição disparada seja encontrada a identificação do criminoso.


Fonte: G1 Jornal Nacional


    NOTÍCIAS

    Agente da Polícia Federal aposentado integra delegação brasileira no Campeonato Internacional de

      O Agente da Polícia Federal aposentado Nivaldo Leal de Carvalho, instrutor técnico da equipe de tiro esportivo do clube Álvares Cabral, foi convocado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) para participar do Campeonato Internacional de Tiro Esportivo. A competição acontece de 12 a 18 de novembro, em Cali, na Colômbia.   Leal irá integrar a delegação brasileira, formada por atletas, médica, fisioter...

    Policial Federal defende primeira tese de doutorado em área de impressões digitais no Brasil

    Após cinco anos de pesquisa, o papiloscopista Carlos Magno Girelli, da Polícia Federal no Espírito Santo, defendeu sua tese de doutorado que criou uma nova técnica para estudo de impressões digitais no Brasil, favorecendo a elucidação de crimes com armas. A técnica identificou pela primeira vez suspeito de homicídio por impressões digitais em cartucho deflagrado e está abrangendo também o Rio de Janeiro, sendo us...

    Policiais Federais apoiam o Outubro Rosa

    O Sinpef-ES, em parceria com a Associação dos Policiais Federais do Espírito Santo (Apofes) e a Cooperativa de Crédito Mútuo dos Policiais Federais e Servidores da União no Espírito Santo (CredFederal), está apoiando a campanha Outubro Rosa realizada pela Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc). No dia 03 de outubro, mais de 80 policiais federais se reuniram na loja e adquiram camisas do...

    Saúde de operadores da Segurança Pública é tema de debate em reunião interinstitucional

    Com uma rotina estressante, que envolve risco à vida a todo momento, os profissionais da segurança pública sofrem impactos direto na sua saúde física e mental. Para debater sobre o assunto e apresentar ações e projetos que possam melhorar a qualidade de vida desses profissionais, foi realizada a 1ª Reunião de Trabalho Interinstitucional de Atenção à Saúde dos Operadores da Segurança Pública no ...

    MCCE defende escolha de Conselheiro de Contas conforme a Constituição Estadual

    O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral no Espírito Santo (MCCE) integrado pelo Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) e outras entidades signatárias, se posicionaram em nota, contra indicações para o cargo de Conselheiro de Contas do Estado. No entanto, o Movimento é favorável à escolha baseada nos critérios determinados na Constituição Estadual, no § 1°, do ar...

    Novos convênios assinados em assembleia

    Na última sexta-feira, 06 de julho, o Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) realizou uma Assembleia Geral Extraordinária na sede do Sindicato, em Vitória. O evento foi realizado para apresentar um resumo de novas ações judiciais, que o Sindicato dará entrada nos próximos meses e beneficiará os sindicalizados.   Na ocasião, também foram apresentados dois novos convênios. O primeiro, ...

    Susp é criado com vetos que desvalorizam operadores de segurança

    Foi sancionada pelo presidente Michel Temer, no dia 11 de junho, a lei que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. O Susp será coordenado pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública e tem como principal objetivo a integração dos órgãos de segurança e inteligência, a padronização de informa&...

    Sindicato passa a integrar o Focates

      O Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) assinou, na última sexta-feira, 15, sua entrada no Fórum de Carreiras Típicas do Estado do Espírito Santo (Focates). A associação reúne entidades sindicais e associativas das Administrações Públicas Federais, Estaduais e Municipais, representativas de carreiras que desenvolvem atividades essenciais e exclusivas do Estado Brasileiro nos Poderes Exec...

    Sindicato reúne policiais federais aposentados

      Na última quinta-feira, 14 de junho, o Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo (Sinpef-ES) realizou o Encontro dos Aposentados e Pensionistas. Com a presença de cerca de 40 filiados, o café organizado especialmente para o grupo foi um momento de atualização sobre as demandas da categoria e também de reencontro com os colegas.   Na pauta do bate-papo, foram repassadas informações sobre as negociaç&otil...

    Legislação defasada reflete na desvalorização da carreira de Policial Federal

    O trabalho da Polícia Federal vem há muitos anos conquistando respeito e credibilidade da sociedade e ganhou ainda mais evidência após o início da Operação Lava Jato, em 2014, cujo grande diferencial foi a formação de uma Força Tarefa constituída por diversos integrantes de variados cargos.   Porém, nem todos os profissionais desse órgão têm o correspondente reconhecimento na lei, tampou...

    Clique aqui para exibir mais notícias